domingo, 28 de setembro de 2008

Bom tempo apadrinhou festas de Amieira do Tejo

Sob o signo do bom tempo decorreram em Amieira do Tejo os tradicionais festejos em honra de Nossa Senhora da Sanguinheira.
A abrir, no dia 12, um animado baile abrilhantado pelo trio PPR de Gáfete, tendo actuado no intervalo as Contradanças de Alpalhão com os seus lindos trajes.
Deliciaram e fizeram lembrar as marchas e outras danças que aconteciam em Amieira pelo Carnaval, comandadas pelo saudoso amieirense Alfredo Garcia.
No dia seguinte, sábado, aconteceu a sempre esperada tourada à vara larga, desta vez com forcados experimentados, vindos das redondezas e que fizeram questão de abraçar todas as vaquinhas que lhes apareceram pela frente.
Mais tarde, realizou-se a procissão da capela para a igreja matriz, onde a imagem da santa pernoitou. No recinto das festas, seguiu-se o arraial onde o grupo Seara Jovem, actuando desta vez sem chuva, pôde mostrar as suas potencialidades em matéria de música tradicional portuguesa. O arraial avançou noite adentro e os frangos continuavam a debandada a caminho dos estômagos, principalmente dos forasteiros.
No dia 14, realce para a missa dominical seguida de imponente procissão, a que foi dado o nome de “procissão do adeus”, a caminho da sua capela, onde os habituais lenços brancos, mais uma vez, mostraram que em Amieira a fé continua como sempre, no coração dos amieirenses.
Na segunda-feira, como se esperava e devido à abertura das aulas, houve muito menos gente, sendo o arraial abrilhantado pelo já conhecido Nuno José.
Parabéns a quem ainda se vai esforçando para que a tradição continue de pé.
- Jorge Pires in "Jornal de Nisa" nº 263 - 24/9/08

domingo, 7 de setembro de 2008

CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE JOÃO VIEIRA PEREIRA

Morreu um homem bom *
Deve ter morrido feliz e de consciência tranquila. Fez bem sem olhar a quem, guiou-se pelos princípios mais simples e valorosos que um homem pode ter.
Um Homem com H maiúsculo. Se quiséssemos escolher um cidadão exemplar, amigo de todos, especialmente dos mais modestos, não teríamos dúvidas em eleger do Dr. João Vieira Pereira.
Viveu quase 85 anos, com uma juventude imbatível, com uma força de viver inigualável, com uma amizade pelos outros, transbordante, como uma actividade incansável.
Há muito que o tínhamos por amigo e em momentos recentes que passámos por provações difíceis, tivemos sempre dele uma visita oportuna, uma palavra amiga.
As palavras e as homenagens, muitas delas de circunstância não alterarão a imagem e a gratidão de todos os que o conheceram, que privaram com ele, que foram seus doentes e amigos.
Pena foi que em vida não tenha sido consagrado ao mais alto nível pela sua dedicação à comunidade, mas isso não lhe fará incómodo, porque muitos dos que são agraciados nessas circunstâncias, não merecem nem de perto aquilo que ele é credor.
Não temos mais palavras para testemunhar a nossa gratidão, porque a comoção ao escrevê-las nos impede de continuar.
Para nós, a vida vale a pena pelo facto de termos conhecido o Dr. João Vieira Pereira e alguns como ele, que são verdadeiros amigos, que sabem comungar o sofrimento e as alegrias de forma perene.
Obrigado Dr. João Vieira Pereira.
JLAS
* Texto publicado em 1993 na “Gazeta das Caldas” por ocasião do falecimento do médico amieirense.
** Não deixe de ler a notícia da homenagem ao Dr. Vieira Pereira na próxima edição do Jornal de Nisa