segunda-feira, 31 de outubro de 2011

POESIA SOBRE AMIEIRA DO TEJO

A TODOS OS AMIEIRENSES FELICITO, POIS …
NASCERAM Á SOMBRA DE UM CASTELO,
DEFENDERAM AS TROPAS DO EXTERIOR.
SÃO LUTADORES.
SAUDEMOS A FAMILIA DE D.NUNO ÁLVARES PEREIRA.
NÃO ESQUEÇAMOS O NOSSO TEJO,
GRANDE RIO DE IMENSAS HISTÓRIAS E CASTELOS.
LUTEMOS SEMPRE PELO NOSSO ALENTEJO,
POIS SOMOS ALENTEJANOS E SEREMOS ATÉ Á MORTE.

SER-SE ALENTEJANO É TER UMA ALMA GRANDE
UMA FORMA DE ESTAR E DE VIVER,
É SENTIR O SOFRIMENTO, COM ALENTO A UM PENSAMENTO,
GRANDE E CHEIO,
DE ESPERANÇAS E LEMBRANÇAS,
DE ALEGRIAS E TRISTEZAS.

AO NOSSO QUEIJO,
AOS NOSSOS BORDADOS,
ÀS NOSSAS CANTARINHAS.
QUE TUDO ISTO POSSA ESTAR SEMPRE PRESENTE,
NA NOSSA MESA CHEIA DE GENTE,
RODEADA DO QUE MELHOR EXISTE,
NA NOSSA GASTRONOMIA,
PORTUGUESA, CONCERTEZA
SEJAMOS ORGULHOSOS DA NOSSA TERRA QUE NOS VIU NASCER!
PAULO CRUZ, FILHO DE UMA AMIEIRENSE

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Visita de Jovens de Espanha, Bulgária, Itália, Roménia e França

Intercâmbio Europeu “Youth Challenging Aging”
Amieira do Tejo será visitada de 18 a 26 de Junho por um grupo de 30 jovens da Bulgária, Espanha, Itália, Roménia e França para o Intercâmbio Europeu “Youth Challenging Aging” sobre diversos temas: solidariedade e diálogo intergeracional, discriminação com base na idade (gerontofobia, mitos e estereótipos), envelhecimento demográfico e desertificação territorial.
Este projecto é co-financiado pela Comissão Europeia coordenado pela Cooperativa de Solidariedade Social Co(op)ração com o fundamental apoio da Santa Casa de Misericórdia de Amieira do Tejo, Câmara Municipal de Nisa, Junta de Freguesia de Amieira do Tejo, Associação Juvenil Inijovem, Termas da Fadagosa, como também, por alguns residentes que são verdadeiros exemplos de envelhecimento activo no Concelho de Nisa.
O projecto Intercâmbio Europeu “Youth Challenging Aging” tem como objectivos: promover um intercâmbio europeu com jovens dos 18 aos 25 anos; elaborar um painel de debate sobre as formas de combater a discriminação com base na idade (gerontofobia, estereótipos e mitos – a imagem dos seniores vista pelos jovens e vice-versa); discutir sobre a desertificação e a acção futura dos jovens sobre o envelhecimento demográfico e por fim fomentar o intercâmbio cultural em que os jovens terão a oportunidade de conhecer o fabrico do queijo, do barro e do bordado de Nisa, como também, a riqueza história de Amieira do Tejo através dos seus monumentos.
Amieira do Tejo foi escolhida como o local para a realização deste intercâmbio, precisamente por ter vários exemplos de envelhecimento activo e pelo crescimento da população envelhecida que se tem verificado. Por seu turno, o projecto “Youth Challenging Aging” surge para promover o diálogo intergeracional e principalmente para quebrar as barreiras do preconceito e discriminação com base na idade, porque os jovens reconhecem que há uma separação entre gerações e principalmente reconhecem que é preciso agir para travar este distanciamento que terá consequências relevantes para a estabilidade futura da União Europeia – porque uma comunidade só é forte quando promove a coesão, integração, e bem-estar social de todos os seus cidadãos.
O programa da visita a Amieira do Tejo culmina no dia 24 de Junho com uma “Marcha de Combate à Discriminação com Base na Idade”, que terá início às 11H45 e percorrerá as ruas da vila. No mesmo dia, pela 17H00, na sede da Junta de Freguesia ocorrerá um Painel de Discussão sobre o tema “Solidariedade entre gerações, desertificação humana e discriminação com base na idade”. No painel serão apresentadas comunicações dos grupos de jovens de Portugal, Espanha, França, Bulgária e Roménia e terá a participação da Presidente da Câmara Municipal de Nisa, do Presidente da Junta de Freguesia de Amieira do Tejo e do Director Técnico da Santa Casa da Misericórdia de Amieira do Tejo.
[Para saber mais informações visite o blog http://youth-challenging-aging.blogspot.com/

segunda-feira, 6 de junho de 2011

domingo, 1 de maio de 2011

UM POEMA PARA O DIA DA MÃE

A ti mãe…
A ti mãe, quero agradecer todos os dias da minha vida
Pois é graças a ti que hoje sou alguém!
Sou a semente que um dia lançaste ao mundo
Desabrochei para a vida, cresci e dei frutos
Frutos que também destes um dia…
Hoje sei e sinto o que sentistes por mim quando eu nasci
E ao veres-me crescer!
Consigo sentir e viver
Todas as angústias e tristezas que passastes para me criar,
Mas também não esqueço que as alegrias que te dei
Foram superiores a tudo o resto.
Valorizo e agradeço as noites perdidas que passastes ao meu lado
As preocupações que passastes durante o meu crescimento,
A dor que sentistes quando chegou o dia em que ganhei assas e voei…
Mas acredita querida mãe que podes sempre contar comigo,
Como eu tenho a certeza que também estás sempre pronta para me receber,
Aconselhar, ajudar e abraçar,
Dando-me aquele abraço que só uma mãe consegue dar a um filho,
Abraço esse que me faz sentir tão bem e me dá forças para viver!
Hoje partilho contigo e dou valor,
Aos dias que passavas a trabalhar fora de casa
Desde que o sol nascia até o mesmo se por para que nada me falta-se.
Muitas vezes senti a tua falta,
Sentia que fazias falta ao meu lado,
Mas hoje sei que muitas das tuas ausências
Eram por ti feitas com muito sofrimento ,
Mas tudo isto era para que nada me faltasse,
E para que o pão estivesse sempre na mesa.
Na altura não dava valor,
Ou simplesmente não compreendia…
Mas, hoje sei que tudo isso fazia parte de ser mãe,
Pois é o que hoje sei, vivo e sinto,
Sinto que no dia-a-dia se tem de fazer os impossíveis pelos filhos,
É o que eu faço e que tu já fizestes também!
E é por tudo isto e muito mais,
Que te agradeço minha querida,
Por seres mãe e me teres feito ser mãe a mim também!
Pois não há amor maior do que o amor de mãe!
P.S.: Dedico estas palavras à minha querida mãe Maria Antónia da Conceição e a todas as mães que sabem viver este sentimento que ultrapassa todas as barreiras: o de ser e saber ser mãe!
Ana Paula Mendes Nunes da Conceição Horta

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Procissão dos Passos em Amieira do Tejo

Eis que mais um ano passou… e aí estamos nós à beira de mais uma das mais esperadas tradições da nossa Terra: a procissão dos Passos. Este ano fiquei encantada com a notícia que obtive através de fonte a qual não vou divulgar o nome, pois de pouco interessa… foi por volta do meio de Março que me foi dito que em princípio este ano a Procissão se iria realizar os dois dias e por completo. Fiquei extasiada, contente e perplexa perante o que ouvira, fiquei no fundo muito contente, mas infelizmente tudo se desvaneceu… lembro-me de ter dito ao receber a notícia: - Finalmente!!! Mas… no fim do mês de Março recebi a notícia à qual me fora dito que afinal iria ser só um dia como tivera sido até aqui desde que recomeçara. Fiquei completamente desacreditada com tudo, e o encantamento que sentira ao princípio desvanecia-se no ar… não sei de onde nem de quem partiu esta recusa mas se realmente no meio de tudo isto existem culpados se assim se puder dizer então esses como se diz na gíria: “Que enfiem a carapuça”. E que me desculpem, mas não posso deixar de dizer o que penso, embora, contudo quero deixar claro que mais vale pouco, que nada! Passo a citar: Até que ponto, como, quem e porquê querem acabar com tradições tão antigas? Ignorando simplesmente que as tradições religiosas jamais existiram… estando deste modo a fazer com que cada vez mais cidadãos deixem de participar nestas celebrações religiosas, fazendo com que os mesmos aos poucos deixem de estar presentes, chegando em muitas das vezes a abandonar a própria igreja. Será isto, estes exemplos, a nossa religião? Vemo-nos obrigados a perder momentos de pureza, amor, e encontro com Deus, em que muitas das vezes só nestes actos religiosos conseguimos alcançar a esperança perdida, e até mesmo só nestas alturas consegue haver uma maior proximidade entre famílias, ao qual não acontece durante um ano inteiro… e são tantos os sentimentos… entre beijos, abraços, encontros e reencontros, risos e lágrimas (muitas delas de saudade) o sentimento que aqui reina é apenas um, amor ao próximo e a Deus, e nestes actos o que consigo sentir e dizer é que todos, somos apenas um só… é algo de inexplicável! E contudo isto, pergunto: -Para quê tanta Burocracia? Será que o desejo e a vontade de um povo não conta? Quem poderá ser a voz do povo, para ir até onde for preciso para manter vivas as nossas tradições religiosas, tão antigas, simbólicas e valiosas, tradições que os nossos antepassados começaram e tão carinhosamente nos deixaram. A quem de direito, às entidades competentes e a todos os que se vêem envolvidos nesta celebração religiosa, em meu nome e em nome do povo quero deixar um apelo sentido: -Por favor, tocando no coração de quem ama, sente e acredita que tudo é possível, para isso havendo um pouco de vontade, peço-vos que descruzem os braços e façam o que for preciso para que a “nossa” amada procissão dos Passos seja feita do princípio ao fim, com toda a sua grandeza e verdadeira história, como fora conhecida há muitos anos atrás. Não deixem que esta tradição acabe! Tenho plena consciência que este ano já não é possível, mas… ao menos dêem-nos uma esperança de que para o ano seja diferente… e que o que se perdeu volte a ser encontrado e reconquistado! Sem mais, quero aqui deixar o meu muito obrigado a todas as entidades que aqui possam estar envolvidas, e outros mais, ficando com a certeza de que algo vai ser feito da parte de quem de direito para trazer de volta esta tradição religiosa com toda a sua grandiosidade, não a deixando voltar a acabar, ou simplesmente mais uma vez… morrer aos poucos! Termino, deixando cumprimentos para todos os Amieirenses e amigos da “nossa” linda e histórica Amieira do Tejo.

P.S.: Este ano, por muita pena minha, não vou poder estar presente por motivos pessoais e profissionais, mas eu serei apenas uma gota no oceano no meio de todos os que aí irão estar presentes, mas esse dia irá estar com toda a certeza dentro do meu pensamento e do meu coração e para o ano se Deus quiser aí estarei presente, nessa que é “nossa” tão amada entre outras procissões. Até Breve!

Ana Paula Mendes Nunes da Conceição Horta - 5 de Abril de 2011

domingo, 3 de abril de 2011

Festa dos Santos Passos em Amieira do Tejo

Como vem acontecendo nos últimos anos, vai realizar-se no próximo dia 10 de Abril a tradicional Festa dos Passos de Amieira do Tejo. Trata-se duma grande manifestação religiosa em que se procura fazer reviver a caminhada do Senhor até ao Calvário. Esta Festa é organizada pelas autoridades eclesiásticas locais e pela Irmandade dos Santos Passos de Amieira do Tejo. O programa é o seguinte:

10,00 horas - Chegada da Banda de Musica da Sociedade Instrução Musical Rossiense, de Rossio ao Sul do Tejo.

- Peditório em Vila Flor e Amieira do Tejo

-14,30 horas - Concentração na Igreja do Calvário e inicio da procissão até à Igreja Matriz, onde será celebrada a Santa Missa.

- Após a Missa, continuação da procissão pelas principais ruas da Vila, terminando na Igreja do Calvário.

De particular significado são os chamados Passos (altares), recriados em várias ruas que vão identificando a caminhada de Jesus até ao Calvário assim como o Encontro do Senhor com a Mãe (vinda da Rua do Castelo) na Praça Nun'Alvares Pereira, enquanto se ouve o sermão do Encontro. Convidam-se, pois todos os Amieirenses e Amigos de Amieira a participar nesta manifestação tão grandiosa.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011


Duas belíssimas aguarelas de Amieira do Tejo da autoria de Guy Moll

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

UM POEMA PARA AMIEIRA

Bom dia!
Meu nome é Jha, e estive recentemente, antes da época natalícia, em Amieira do Tejo, a Terra de Jans. Estive na apanha da azeitona com uns amigos e um antigo morador da bela aldeia, tive momentos tão agradáveis e belos, que fiquei com muitas saudades e espero lá voltar brevemente, ficou-me sempre no coração essa terra. Mas a razão do meu email, é que durante a estadia por terras tão belas, tive a oportunidade de escrever um poema dedicado a Amieira do Tejo, e gostaria de o partilhar consigo e com as gentes da terra, portanto resolvi enviar, visto ter você um blog bastante popular entre as gentes e amantes da Amieira. Obrigado, aqui segue o poema.
Adeus, Oh Barca do Tejo!
Há aqui um barca à beira do Tejo
que jaz plantada num brejo.
Sua proa de outrora magistral
Como nenhuma vi em Portugal.

Cintila nos jardins da memória
a turva voz de sua glória.
Pelos vales e montes pintados
Com aguarela pura, voam bordados
pelas moças da aldeia
As nuvens, que destilam amargura.
Eu, já fiz muitas viagens, loucas e vãs
mas nenhuma aqui, na Terra de Jans.

Aqui encontrei um porto de abrigo.
Sem cruzar o Tejo fiz ponte
de pedra e calos, entre mim e comigo.
Embriaguei-me da mais pura fonte
onde o elixir da juventude encontrei.
Dos olhos dos teus filhos guardarei
para mim a ternura extinta
das cidades ocas da cor, e da tinta.

Adeus, Oh Barca do Tejo!
O adeus não é senão sentido, nem é em vão
Levo-te sempre assim colorindo o meu coração
Adeus, Oh Barca do Tejo!

Jha pina