quarta-feira, 27 de agosto de 2008

PROJECTO ÚNICO EM PORTUGAL ESTREIA-SE EM NISA

Associação RURAT reabilita património urbano e rústico de Amieira do Tejo
No âmbito da Nisartes’08, foi apresentada a RURAT – Associação de Gestão e Reabilitação Urbana e Rústica de Amieira do Tejo. A associação sem fins lucrativos, projecto pioneiro de características únicas em Portugal, vem revolucionar os modelos de gestão do património natural, humano e edificado ao nível autárquico.
Apostando em combater a desertificação e aumentar a oferta turística em todas as suas vertentes, a RURAT visa promover o desenvolvimento sustentável e o surgimento de novas cadeias de valor na área geográfica da freguesia de Amieira do Tejo (concelho de Nisa) e envolvente.
A Associação assume-se como uma organização não-governamental de economia social, com competências, recursos e vida própria, tratando-se da primeira experiência nacional onde a solidariedade intergeracional constituirá o motor do desenvolvimento económico da Região.
Entre os seus objectivos estratégicos, a RURAT privilegia o apoio aos proprietários e outras entidades públicas, privadas e associativas que não tenham disponibilidade financeira, capacidade física, vocação empreendedora ou idade para o mais correcto e rentável usufruto e exploração dos seus bens.
Nesses casos, através da celebração de contratos jurídicos, acordos ou protocolos, a RURAT ficará com o direito temporário de usufruto e exploração desses mesmos bens, no pressuposto de os rentabilizar e, consequentemente, remunerar em função das contrapartidas que vier a obter. O objectivo é valorizar o património dos associados da RURAT através de intervenções de beneficiação (obras, cultivo, criação de actividades), arrendamento ou venda.
A Associação irá também promover a intervenção e investimento no espaço público e património histórico-cultural, designadamente através da recuperação, construção e gestão de estruturas culturais, desportivas e recreativas, da implantação de unidades e equipamentos turísticos e de lazer e da reabilitação e reutilização de habitações e imóveis de traça tradicional.
A RURAT propõe-se ainda recuperar e gerir património devoluto, degradado ou em pousio, concentrando-o, gerando escala e conferindo-lhe novas funcionalidades para, em função do seu potencial produtivo, encontrar a melhor forma de o rentabilizar e voltar a transformar em activo.
Magnífica em beleza paisagística, rica em património arquitectónico e histórico-cultural, favorecida ao nível de acessibilidade, bafejada em termos de localização geográfica e gentil na hospitalidade, a freguesia de Amieira do Tejo prepara-se assim para uma nova era de desenvolvimento, através dos seus recursos endógenos, correctamente intervencionados e aproveitados por via de um plano estratégico de alcance global.
Quem são os fundadores
São fundadores da RURAT – Associação de Gestão e Reabilitação Urbana e Rústica de Amieira do Tejo, os cidadãos João Godinho, Novais Tavares, João Barata, Fernando Trindade, Jorge Camarneiro, Rafael André, Paulo Valério, José Manuel Alves, José Jorge Marchão, Rogério Dias, Rui Tomás Marques e Victor Camarneiro, que aprovaram, igualmente, a denominação, estatutos e objectivos estratégicos.