quarta-feira, 28 de maio de 2008

POEMA SOBRE AS CRIANÇAS

A ti, criança, quero-te dizer...
Quero dizer-te que também já fui criança.
Sim, já fui criança como tu.
Sabes? O que agora és, eu já fui
O que fazes, eu também já fiz.
E acredita: É tão bom, ser criança!
Mas passa tão depressa...
Por isso, criancinha, não tenhas pressa de crescer!

Escuta: Já fui criança, não sou mais
Agora que cresci, tenho apenas essa criança
Que um dia fui, guardada no meu pensamento
Especialmente, no meu coração.
Se brinquei? Claro que sim!
Brinquei tanto, que nem imaginas...
Corri, saltei, fantasiei, inventei!
Fantasias e invenções próprias da idade
E que me faziam sonhar...
E como é bom sonhar! Sonhar com fadas,
Príncipes, dragões e palácios de encantar!
Como eu gostava de fantasiar...

Criança pequena, escuta o que te digo:
Todos os adultos que conheces já foram crianças um dia.
Os teus avós e os teus pais também já o foram.
Agora, és tu; é agora, o teu tempo: o tempo de seres criança!
Aproveita-o bem, sem pressa de crescer, tudo tem o seu tempo!
Sabes, um dia vais lembrar-te destas palavras...
Talvez as vás dizer também a alguma criança
Vais (quem sabe) sentir o que eu hoje sinto
Pois é impossível não sentir...

Fecho os olhos e sinto que o tempo passou tão depressa...
Não sou mais criança! Cresci e sou adulta.
Queria recuar no tempo e voltar a ser aquela criança
Que correu, saltou, criou, inventou e tanto brincou!
Tenho tantas saudades... Mas o tempo não volta atrás
Mantenho viva a criança que já fui, no meu pensamento
E no meu coração.
Por isso, criança, não tenhas pressa de crescer!
Um dia mais tarde, irás ter saudades
De essa criança voltar de novo a ser!
Com todo o amor, dedico a todas as crianças do mundo, homenageando-as no Dia Mundial da Criança (1 de Junho).
Ana Paula MN Conceição Horta